Instagram

Instagram

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Futebol rasteja no DF e políticos invadem eleição para Federação


Na capital da República, onde um estádio para 75 mil pessoas está em construção, o futebol profissional rasteja, mas seu bastidor é animadamente disputado. Aqui, três clubes estão nas séries C e D do Campeonato Brasileiro, mas a média de público não chega a mil torcedores…
Nos bastidores desse “progresso”, depois de mais de um ano com intervenção judicial, devido denúncias de desvios de verbas públicas, a Federação Brasiliense de Futebol realizou eleição, que terminou empatada, 19 x 19 e um voto nulo, entre o advogado Josafá Dantas e o policial militar Márcio Coutinho. O desempate será em 4 de outubro.
Os detalhes dessa politicagem futebolística estão no blog da jornalista Ana Maria Campos.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Por aumento, bancários ameaçam fazer greve na próxima semana

O Comando Nacional dos Bancários retomará as negociações com a Federação Nacional de Bancos (Fenaban) nesta terça-feira, às 15h, para exigir um aumento real de 5%, piso salarial de R$ 2.416,38, participação de lucros e resultados e garantia de emprego, entre outras propostas. "Se qualquer uma dessas quatro não for atendida, entraremos em greve", afirmou o presidente da Contraf-CUT, Carlos Cordeiro.
Os bancários apresentaram outros pedidos também, como a elevação do auxílio-refeição, da cesta-alimentação e do auxílio-creche, mais contratações e mais segurança nas agências. De acordo com Cordeiro, se não houver uma proposta que agrade, a greve deve começar na próxima semana. No entanto, ele espera que a Fenaban faça uma boa proposta. A entidade que representa os bancos disse que irá comentar sobre o assunto somente após a reunião desta terça-feira.
Paralisação
Na segunda-feira, bancos das capitais, da principais cidades e de algumas cidades do interior ficaram sem funcionar até às 12h. "Ontem retardamos até o meio dia, como forma de pressionar os bancos", disse Cordeiro. Segundo ele, apenas os aposentados foram atendidos durante a manhã.
A Fenaban afirmou, em nota, estranhar "a atitude precipitada" dos trabalhadores. A entidade também registrou que "repudia paralisações com o processo de negociação seguindo o curso acordado previamente com o comando nacional dos bancários".